sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Tartan vermelho

Parece que se iniciou a febre do tartan vermelho após esse padrão ter surgido em vários desfiles das coleções de outono/inverno 2014.

Em uma passada rápida pelas lojas já deu para perceber que o foco nesse estilo de estampa xadrez, típica da Escócia, ganhou as vitrines.

Também é um padrão muito associado ao movimento grunge. No caso a camisa xadrez (habitualmente de flanela, não necessariamente vermelha) era usada aberta sobre uma camiseta de banda ou, então, amarrada na cintura, dando ao look uma aparência proposital de desleixo.

Por isso, a peça mais clássica e difundida é justamente a camisa. Entretanto, encontrei calças e até sapatos em red tartan:


Roupas: C&A, vitrine


 Sapatos: Santa Lolla, vitrine


Resumindo, esperem ver muito desse padrão pelas ruas, principalmente quando começar a esfriar.

Aliás, estou até com medo que esta seja a próxima tendência estilo "calça listrada em branco e preto": sim, aquela que bombou e depois ninguém mais aguentava ver na frente. 
Por outro lado, tartan é um clássico...

Veremos...


E olhem só: encontrei algo bem diferente, fugindo do literal -- uma blusa tartan + floral, das Pernambucanas. Gostei!!!

 Acho que essa eu até encaro! ;)

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

A crítica ao vestir


Olhem só que coincidência ocorreu neste último fevereiro
quatro blogueiras excelentes, independentemente e com textos com focos diferentes, escreveram sobre a liberdade de vestir o que se quer. Preferencialmente, sem que outro venha julgar você, sua roupa, sua lucidez.

Realmente, temos que concordar com elas: não há porque alterar o que se gosta somente para agradar a outras pessoas. Além do quê, esse propósito é completamente inviável: sempre vai haver alguém que vai achar ótimo e outro que vai achar péssimo.


- Então, por que julga-se tanto pela internet?

Porque é muito difícil olhar moda e se abster de criar opinião: afinal, fazemos escolhas a cada loja que visitamos, a cada revista folheada, a cada novo desfile. Estamos treinadas para rapidamente escolher o que gostamos e o que não gostamos dentro desse universo imenso que é a oferta de moda.

Sim, às vezes é mesmo difícil não achar bizarras algumas coisas que aparecem em blogs de moda. No entanto, se a pessoa não nos pediu opinião, quem somos para oferecê-la?

Acho que esse (mau) comportamento generalizado ocorre endemicamente por causa da facilidade de expressar sua opinião com um simples toque de teclas e – o agravante – anonimamente, o que acirra a maledicência.

Algumas vezes vejo um look e lamento pela escolha da blogueira, achando que vestiu mal, que ela deveria evitar aquela peça para sempre. Porém, me controlo e atualmente jamais escrevo algo não solicitado.
E daí que eu não gosto? Se ela está feliz, que ótimo para ela!!!

Quanto aos posts originais, só posso lhes fazer coro: vamos ser mais amigas, mais ponderadas, mais generosas e manter a educação nas nossas interações na internet.


Aqui os links, não deixem de ler:
Carol Burgo, uma querida, escreve SUPER BEM, neste texto aqui.



Dani Oliveira, blogueira "gente como a gente", neste post aqui.



Lia Camargo, que não sigo formalmente mas que volta e meia encontro um post interessante, neste aqui.



E aqui o desabafo da Lu Ferreira sobre a falta de limites das pessoas que comentam nos blogs. Ela diz que tem recebido comentários ofensivos, não simples opiniões. E completa: você falaria a mesma coisa se estivesse cara a cara com a pessoa criticada?
Claro que não, não é?! 

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Erro bX-9iovbq

Para quem também usa iMac e usava o Safari para postar e está sem conseguir acesso e com esse tal erro bX-9iovbq, coisa que ocorreu comigo nos últimos dias, a única solução é mudar de provedor para FireFox ou Google Chrome.

Gente, inacreditável o que estão fazendo para obrigar a todos caírem no Google Chrome.

Primeiro tiraram a compatibilidade do Blogger com o Opera. Agora com o Safari. E com o FireFox, quanto tempo ainda teremos? Oremos...

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Mochila

Aqui em SP nunca uso mochila, porém, quando viajo acho imprescindível ter uma bem estilosinha para me acompanhar nos passeios deixando as mãos livres.

Minha anterior era da UncleK, xadrez, usei direto quando estava na Europa e foi muito útil. Bonita e prática.


Só que agora me apaixonei perdidamente por esta Tory Burch que saiu numa resenha da Harper's Bazaar:

Preta, com bolinhas rosadas! Tem coisa mais linda?

Espero que chegue nas lojas de SP e que o custo não seja impeditivo. Achei-a super charmosa e com certeza é minha escolha para próxima mochila. Não é fofa???

(Se quiser ver as novidades da Tory Burch, tem loja nos shoppings Iguatemi e JK Iguatemi - SP)


PS: desisti da mochila quando me lembrei da diferença de peso entre os modelos de lona e de couro. Quando viajamos precisamos carregar tanta coisa, a mochila em si precisa ser bem leve. E a bolsa de couro sempre será pesada, mesmo vazia. Portanto, por mais bonito que seja o modelo, #nadafeito.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Peter Pilotto para Target

Gosto demais das criações de Peter Pilotto. As estampas, as cores, as texturas misturadas…
Não estava muito ligada à ação da Target com o estilista, porém chegou um email domingo de manhã informando que a Net-a-Porter estava disponibilizando as peças para entrega no Brasil.


Por azar, só vi o email já tarde da noite (link aqui). Entrei no e-commerce mas nessa hora só haviam 6 itens disponíveis:


Bom, para encurtar a história, comprei as duas blusas da lista acima!
Enquanto escrevo este post verifiquei que a blusa de manga comprida já acabou também. No entanto, tenho esperança que eles reponham as peças. Se isso acontecer, fique de olho. Não é sempre que se consegue algo de um estilista tão especial, e por um custo tão baixo. :D

Dica: O frete encarece muito o custo final, por isso, vale a pena comprar logo várias peças, por exemplo fazendo o pedido junto com uma amiga.


14 de fev: gente, acredita que minhas compras JÁ CHEGARAM?!?!?! Quatro dias do pedido, só!

Lindas, perfeitas. A da esquerda é 100% cotton e a da direita é jersey: 60% cotton e 40% modal. 

E as etiquetas então? Um charme à parte. Gosto muito de detalhes bem pensados quando compro algo. :D

E já estou usando:

Dica de estilo
Como a blusa tem muita informação, subi as mangas para deixar parte dos braços à mostra, diminuindo a área estampada. Pelo mesmo motivo coloquei um colar totalmente preto (este aqui) e calça preta (escolhi uma das cores que aparecem na blusa). Completei usando outra cor da estampa, só que desta vez uma vibrante, no sapato (este aqui).
O sucesso de um look depende inteiramente dos detalhes, concordam?

domingo, 9 de fevereiro de 2014

App: f.lux

Instalei esta semana o aplicativo f.lux em meu iMac. A função é ajustar a luminosidade da tela conforme a hora do dia ou da noite.

Normalmente o micro tem a luminosidade ajustada para uso diurno, o que significa emanar uma luz fria azulada e bastante forte. Essa luz é prejudicial à indução de sono, quem trabalha até tarde com ela acaba tendo dificuldade para dormir.

Esse app corrige automaticamente a luminosidade da tela conforme a hora do dia. Ao anoitecer a tela vai adquirindo uma cor mais suave, amarelada, quente.

Estou testando há uma semana e adorando!
Gosto de trabalhar à noite e meus olhos estão agradecendo não estarem mais sendo constantemente agredidos pelo brilho excessivo da tela.


Para baixar clique aqui - é grátis.
Obs.: Permita que o software verifique sua localização, pois é com esse dado que ele trabalha para ajustar exatamente a luz ao horário do dia.
Disponível para iMac, Windows, Linux e iPhone/iPad.

Experimente. VALE A PENA!!!

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Idade, liberdade, futuro by Ana Carolina Soares

O post que colei abaixo é da Ana Carolina Soares, já falei dela aqui e aqui sobre o workshop lindo que ela fez em SP e que participei.
O texto abaixo está TÃO PERFEITO que eu gostaria que eu mesma o tivesse escrito. Optei por não colocar só o link para esse post, e sim o texto inteiro, porque quero que ele "faça parte" do meu blog, que eu continuamente me inspire nele e internalize seu conhecimento.

Ana, com sua permissão e minha gratidão, segue seu post fantástico:
Daqui algumas semanas, no dia 21 precisamente, farei 35 anos. A idade poderia assustar, mas não fico grilada, não. Como bem escrevi no meu aniversário do ano passado, aceito com muita serenidade esse passar do tempo, me sinto cada vez melhor, mais dona de mim, menos impressionável e até mais corajosa. Continuo na busca para ser mais tolerante e exercitar mais a compaixão.
Sinto que meu estilo se aperfeiçoa mais, percebo com mais clareza o que fica bem ou não em mim – coisas que antes eu não detectaria de jeito algum! Consigo passar tranquilamente por lojas e saber o que eu realmente quero. Abandonei alguns velhos hábitos (como o de comprar por comprar) e estou abrindo a mente para o novo, com um inédito desafio de me afirmar numa outra profissão.
Eu não fico planejando muito o futuro, mas penso no que posso fazer no meu hoje para que reverbere mais pra frente.
Por isso, quando penso nesse tempo que anda tão rápido, eu só sinto o quanto ele me faz bem. Mesmo. Não troco meus 10kg a mais pelo meu corpo de 10 anos atrás. Me considero mais bonita agora, com mais carne e gordurinhas! Também aprendi que não preciso ir ao salão toda vez que meu grisalho aparece. Esse é mais difícil de aceitar, porque eu odeio pintar meu cabelo, e quando eu não cubro as raízes brancas, fico com receio de parecer desleixada. Sim, bobeira, mas estou tentando me livrar dessa lavagem cerebral que fazem em nós, mulheres.
felicidade-1
(via Ana)
Parei de paranóia com a barriga e voltei a ir a praia. Essa noiazinha de não ter mais a barriga “lisa” impediu muitos momentos felizes com meus amigos. Também aceitei mais minhas celulites nas pernas e voltei a usar short sem qualquer receio. E rendeu até uma discussão no blog, quando uma leitora disse que eu não tinha mais idade para usá-los.
Aí, essa semana, olhando o instagram, me deparo com o da American Apparel USAapresentando a sua nova garota propaganda – Jacky O’Shaughnessy, de 62 anos, nas poses clássicas das ousadas campanhas da marca, vestindo lingerie, seguida da frase “sexy has no expiration date.” (sensualidade não tem prazo de validade). Jacky nunca fez cirurgia plástica e as fotos não tem intervenção do Photoshop.
AmericanApparel02
american-apparel-hojevouassimoff-3
aa-5-630x407
american-apparel-hojevouassimoff
Eu achei o máximo. Primeiro, porque minha mãe tem quase 60 e eu sinceramente não a vejo com essa idade. Ela é jovem e jovial, adora sair, fica me xingando se vê alguma roupa no blog que eu não comprei igual pra ela (hahahaha), usa tênis e acessórios super moderninhos. Minha vó comprava em lojas de mulheres da minha idade e se vestia de acordo para uma mulher de 70, só que sem ser careta – essa senhorinha andava por aí de tênis New Order e vestido Cantão, vejam vocês.
Por isso discordo de algumas críticas que li no instagram da AA, alegando que qualquer mulher da idade de Jacky não compraria na loja da marca, que seria apenas mais uma jogada de marketing. Sinto muito, mas eu imagino sim as mulheres da minha família comprando lá…as mulheres contemporâneas não sentem mais o peso da idade que consta no RG. Sim, ela é magra e branca, mas acredito que podemos ir além do estereótipo e avançar com essas questões.
Por exemplo, preciso dizer que me assombro quando vejo tanta menina novinha se enchendo de maquiagem – eu comecei a usar aos 29 anos. Não que eu seja “A” certa, mas a gente precisa mesmo ser escrava disso todos os dias cada vez mais cedo? Fico espantada em perceber que ainda existem lugares com mentalidade tacanha, que lançam olhares repressores quando a mulherada resolve vestir um short. Fico chocada quando alguém diz que existe idade para algo.
Campanhas como essa da American Apparel não reforçam apenas que a gente pode continuar sexy, irreverente e linda aos 60 anos. Eu acredito que é uma mensagem pra gente se libertar agora. Pra nos convencermos de que somos lindas mesmo com manequim que não é o padrão, mesmo quando as rugas aparecem, mesmo quando uma sociedade diz exatamente o contrário: não importa, mesmo. Temos saúde, a opção de mudar quando quisermos, e tantos outros interesses e pensamentos mais importantes do que perceber se a pessoa que está na sua frente é velha ou gorda demais para se permitir, querendo cercear a liberdade alheia.
advance-style-women-of-ari-seth-cohen-gal5
foto do blog Advanced Style.
A campanha da AA me lembrou o desfile da coleção de inverno 2009 do estilista mineiro Ronaldo Fraga – Tudo é risca de giz, quando desafiou toda uma convenção e colocou mulheres e homens maduros para desfilar suas criações, arrancando lágrimas e aplausos na SPFW. Lembro do Ronaldo comentando o risco que seria enfrentar a crítica – quantos momentos únicos essa ousadia não rendeu?
ronaldo-fraga-inverno-blog
Então, a minha proposta é não pensar apenas pra frente – se permita hoje. Perceba o que te faz feliz agora, nesse instante. Não se compare, não admita que digam o que você deve comer, que padrão você precisa se encaixar. Alma leve e mente serena para viver o nosso momento, sem pensar em arrependimentos no seu futuro. :)

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Isolda London - estampas

Quando surgiu a febre das estampas da marca Isolda, com seus polvos, lagostas e cajus, me apaixonei perdidamente por uma regata de lagosta e conchas em seda, que devido a sua montagem com tecido duplo dava a impressão de imagem 3D.

Imagem do site Farfetch

Só não comprei porque a modelagem vai somente até um n.°42 pequeno. Se encontrasse uma que me servisse com certeza compraria, ou essa acima ou qualquer outra do tal "efeito 3D". 


Porém, o conjunto de blusa mais saia já não me agrada tanto. Apesar de ter admirado inicialmente a ousadia e a criatividade, ao ver fotos de pessoas usando essa moda deixei de gostar das peças com duas estampas completamente diferentes fundidas. Não vejo elegância no conjunto, só excentricidade.


Agora estão surgindo as novas imagens do inverno 2014 e o crash de estampas continua em alta, com muito branco e preto e muitos limões e outras frutas.

 Imagem site Isolda

Imagem desfile via Harper's Bazaar

As peças da Isolda são caras, uma regata chega a ultrapassar a faixa de R$1.500, uma saia está perto de R$1.200. Logo, é originalmente uma moda cara e para poucos.

No entanto, o brasileiro é muito criativo e hoje vi no shopping uma blusinha "genérica" unindo ondas brancas e pretas com cajus, por R$99. Passa facilmente por pura Isolda se você não conhecer bem as estampas originais.


Agora pensa: todo mundo vestindo esse crash total de estampas no dia a dia. Não é mais esquisito do que bonito?


P.S.: encontrei várias saias ditas "inspired", e os preços estão de R$100 a R$150. Com isso cai por terra a ideia de exclusividade e de que com o custo original essa moda não haveria de se alastrar.

Saias a R$150

Bem feia, coitada, a R$100
Sinceramente? #nothanks

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Livro: A Gata do Dalai Lama

Este é um livro bem diferente: a história é contada na primeira pessoa por uma gatinha que teria sido adotada pelo Dalai Lama.
O relato conta o dia a dia e as experiências da gata e das pessoas que a cercam. Entremeado ao texto há lições do budismo, ensinamentos do Dalai Lama e de outros lamas, a rotina do templo, etc.


É um livro com passagens pitorescas, o olhar da gata sobre fatos e pessoas torna a narrativa bem diferente, interessante. No entanto, não me apaixonei pelo livro, creio que porque não esperava a dose de doutrina envolvida em alguns trechos. Absolutamente nada contra o budismo, muito pelo contrário! Só não estava preparada para um livro que, afinal, quer nos passar uma ideia muito mais profunda do que sua capa e seu título fazem parecer. Esperava somente a parte "divertida", vem junto uma parte que exige atenção redobrada para ser assimilada.

Mas não desanimem. Colei abaixo uma descrição ótima do site da Editora Lúcida que acho que vai empolgar mais que minhas palavras:

Diferentes nomes, muitas experiências e uma rotina dividida entre elevação espiritual, celebridades e situações prosaicas. “A gata do Dalai Lama” é um delicioso e delicado relato de uma felina bastante especial, dona de histórias igualmente singulares e senso de humor. Salva da morte pelo líder espiritual tibetano mais conhecido do planeta, ela passa a usufruir – sem cerimônias – da intimidade de Sua Santidade, de seus ensinamentos e sabedoria. A proximidade com Dalai Lama lhe rende também inusitada notabilidade social, status que atrai curiosidade e abre portas em ambientes diversos. Assim como na vida, a pluralidade é elemento fundamental deste livro. 

E aí, animaram?

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Semana de Pulseiras - Francesca Romana Diana

Até dia 09/fev as lojas da Francesca Romana Diana estão com promoções de pulseiras. Estas aqui são as que escolhi como sendo as mais lindas:


Madeira, ouro e listras preto e branco. Tem como ser mais moderna e sempre na moda?
Achei o preço digno e só não estou fazendo meu pedido agora porque minha mão é muito pequena e as pulseiras largas tendem a escorregar por elas e parar no chão, o que me impede de ter modelos como os acima.

Se você não tem esse problema e gostou da ideia, o link para a pulseira em oferta é este aqui.

Tem outras peças em oferta no site, no entanto, recomendo uma visita às lojas. Normalmente as bijoux da Francesca são grandes, bem statement mesmo, é sempre bom provar antes para saber se vai combinar com a gente.  #ficaadica

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Salto baixo

A campanha da Tory Burch em seu site está bem interessante, ainda mais por ter priorizado looks acompanhados de sapatos de salto baixo, como scarpins, mocassins e tênis.

 Lindo esse vestido branco rendado usado com um mocassim listradinho. 
Difícil ver isso, não é? Normalmente estaria montado com uma sandália alta. Gostei!

 Sapato com detalhe dourado e um listradinho quase sem salto com o vestido/túnica.

Olha na foto à direita o vestido usado com scarpin - até ele tem o salto baixinho.

Achei a sapatilha da direita uma graça.
Agora repare a bolsa franjada: finalmente uma franja discreta, essa até dá para encarar.

Gostei tanto desse branco com azul, ficou feminino. 
Mocassins com a calça e scarpins baixos com saia.


Desde que troquei todos meus sapatos altos por outros sem salto passei a reparar mais nas fotos de editoriais e a maioria só mostra as modelos em saltões. Eu acho LINDO, porém optei por não usar mais e desde então meus pés e joelhos agradeceram. No entanto, fica-se com a impressão que você não está usando "certo" se está com salto baixo, porque ninguém dá foco a eles. 

Dito isso, achei importante destacar este catálogo da Tory Burch pois ele nos mostra que também é lindo usar um sapato baixinho e que não destrói nossos pés.


Ainda não sei bem o que pensar sobre os mocassins… Tenho visto muita ênfase nesse calçado que me parece mais bruto que as sapatilhas. Depois da chegada da Tod's com seus modelos clássicos e atemporais parece que ele reviveu. Vocês gostam ou passam?

#dúvida