segunda-feira, 31 de março de 2014

Shourouk: novas criações

A designer parisiense de descendência tunisiana Shourouk Rhaiem é grande lançadora de moda quando se fala de bijoux estatement. Seus colares com muito brilho, pedras coloridas, alguns com PVC transparente como base, fizeram um sucesso imenso em 2012-13 e prometem repetir a dose este ano.

Os brincos, colares, pulseiras e bolsas estão nos principais pontos de venda de cerca de 40 países, e alguns colares custavam mais de 200 euros já em 2012.
Bom, isso são águas passadas. A coleção nova chegará com colares na faixa de US$1600. [!!!!!!!]

Abaixo fotos da coleção 2014, que estará disponível para venda entre julho e agosto próximos:


Peças com paetês, arco íris, muito branco&preto e animal prints.

O que mais me impressionou, no entanto, foi que todos mantiveram a estética de maxicolares, ou seja: próximos ao pescoço e com muita informação.
Estava sendo antecipada uma mudança da moda para colares mais compridos, de correntes finas e apenas um medalhão grande, porém não foi nisso que a designer apostou.

Gostei da notícia, nos dá mais fôlego para continuar usando as peças compradas nos últimos anos, a maioria no estilo máxi.

Os brincos de paetês não me encantaram...
Não parecem pequenos ovos de Páscoa? :)

 Boné e clutch: muito branco&preto, pérolas fake, cristais e paetês.


Eu gosto do estilo que Shourouk dá às suas peças, são bem diferentes e únicas. Mas por mais design que tenham, não dá para achar justificativa em pagar mil e seiscentos dólares em um colar coberto de paetês e contas coloridas.
Ou dá? Você compraria?

domingo, 30 de março de 2014

Arrumando guarda-roupa

Estou arrumando meu guarda-roupa. Faz uma semana que comecei e ainda há pedacinhos esperando sua vez. Gente, como é trabalhoso você mudar o que já está estabelecido, não é?

Comecei isso não porque ele estivesse bagunçado, nada disso. Estava tudo no seu lugar, como sempre. Mas algo não estava funcionando. Sabe quando você abre e parece que não está bom? Precisava de mais lugar -- ou de menos coisas. 
Resolvi por atacar as duas frentes: fiz nova triagem em minhas roupas, bolsas e sapatos, tirei o que já não amava mais + iniciei uma big arrumação no armário.

Frase boa para quem está pensando em fazer o mesmo:


Realmente: às vezes a gente se apega a roupas que não têm mais nosso estilo atual. Coisas que você amou muito há um tempo mas que ultimamente não "conversam" mais com você.

É muito difícil se livrar dessa categoria de peças. Elas envolvem lembranças e expectativas de uso ou de estilo, mesmo que seja um estilo que você já superou.
E não é incongruência acontecer isso. Nós estamos sempre mudando, a cada dia temos oportunidade de encontrar uma novidade que nos encante e deixe a ideia anterior descartada.


Muito antigamente meu sonho de consumo eram os saltos altos e vestidos acinturados. Agora são calças jeans, blusas com detalhes especiais (de textura, brilho ou material) e sapatos baixos com personalidade. E vai saber do que vou gostar amanhã...

Enfim, voltando à arrumação, há muitos modos de organizar um guarda-roupa. Gosto do meu com as camisas e blusas penduradas por cor, as peças de gaveta (malhas, camisetas, cardigans, etc.) separadas por "temperatura": gaveta para camisetas leves; outra para malhas de manga curta; outra para mangas compridas; uma grande para lã e demais tecidos pesados.

Os vestidos e os casacos de inverno ficam pendurados na parte do armário prevista para roupas compridas. 
Se houver espaço, pendurar as calças é uma ideia ótima, que usa pouco volume do guarda-roupa se você as pendurar sem dobrar, usando cabides com ganchos e prendendo pelo cós ou pela barra, dependendo do tipo de tecido da peça.

Aliás, falando em cabides, nada como um armário com todas as peças em cabides iguais. Escolhi os de madeira clara e os recomendo, acho-os muito bons. Plástico costuma deformar e os de metal fazem um barulho chatinho quando batem um no outro.

Fonte: Camicado

Outra coisa boa é aproveitar as prateleiras mais altas para armazenar peças dentro de caixas plásticas transparentes: meus lenços e cachecóis estão assim. É bom porque não são itens que você precisa diariamente, mas também não vai esquecer que eles existem, pois a transparência permite que você sempre veja o que está dentro.

Fonte: Utilplast

Atualmente há tantas lojas vendendo organizadores que não há mais dificuldade em conseguir esse tipo de caixa, elas são encontradas em inúmeros tamanhos e modelos. Algum deles com certeza vai funcionar no espaço do seu guarda-roupa.

Falta agora atacar os nichos com bijuterias. Vai ser complicado, efetivamente tenho mais bijoux do que lugar para elas. E neste caso, está rolando um certo apego maior do que o que tenho com as demais peças. Vamos ver como vai ficar...

Mas sabem de uma coisa? Limpeza e arrumação trazem um ar tão renovado e tão agradável à casa! Pode dar trabalho, demorar um pouquinho (cof, cof), porém no final a sensação é de vitória e de satisfação. Além de termos tudo limpo, em ordem e lindo. Uma nova vida para o guarda-roupas e, com essa ajuda, até para nós mesmas.


Obs: imagens das frases via internet. 
Estão sem crédito porque fui acumulando com o tempo tudo que gostava e não lembro mais de onde tirei cada uma.  :(

quinta-feira, 27 de março de 2014

Manual das compras online - III


O Manual I tratou dos itens fáceis de comprar online, devoluções e citou produtos de difícil acerto.
O Manual II falava sobre compras em sites estrangeiros, Clubes de compras, e sites como o eBay.
O III foca no que devemos fazer para comprar uma roupa online (produto difícil) e essa experiência não ser uma furada.

Antes de mais nada, um ponto importante: prefira a compra presencial, nas lojas físicas.
Dá mais trabalho, cansa, às vezes não tem numeração, cor, etc., mas quando você traz um item para casa é certeza que gostou muito dele, vestiu bem e você vai usá-lo bastante --> e este é o princípio da compra inteligente: o custo REAL da roupa é seu valor em R$ dividido pelo número de vezes que a mesma é usada.
Ou seja, quanto mais vezes você usar uma peça, relativamente mais barata ela fica.


Mas às vezes não dá para irmos à loja física e a internet acaba sendo a companheira de compras.  
Vai comprar roupa online? Então, siga o segundo ponto importante: Só faça o pedido se o site disponibilizar a composição da peça e detalhes da medida para cada numeração.

Vamos lá:
Composição
Especifica os materiais de que é feita a roupa e em quais proporções aparecem.
Cada pessoa pode ter uma forma diferente de tratar essa informação. Eu priorizo comprar peças 100% seda, ou 100% algodão, ou uma mistura desses, ou com viscose. Não compro 100% poliéster nunca. Aí é uma questão de gosto.

Tamanho
Todo mundo tem alguma parte do corpo mais difícil de vestir. Ou os braços são gordinhos, ou tem muito busto, ou não tem cintura, e por aí vai. Por isso é tão importante que as medidas estejam disponíveis.
Por exemplo: no meu caso o fator limitante é a medida do busto. Não adianta a peça ser tamanho G se só tiver 85cm de busto. E como por aqui não há normatização de tamanhos, sem essa averiguação não dá para comprar.

Como se informar sobre esses detalhes? 
Alguns sites disponibilizam muitos dados, outros não.
A logística para colocar todos esses detalhes em cada nova peça de roupa que entra no site deve ser dar um trabalho imenso! E deve ser por isso que alguns simplesmente ignoram nossas necessidades enquanto consumidoras.

Exemplos (para o bem e para o mal):
Obs.: procurei por "t-shirt" em 4 sites, escolhi os exemplos à esmo, montei os quadros abaixo com as informações disponíveis, sem julgamento sobre as peças em si, somente focando no que está sendo comunicado sobre elas, sendo que elas representam exatamente como os sites apresentam todas suas explicações para o público.

Clicando em Detalhes você tem informações sobre corte e modelagem da camiseta; clicando em Medidas tem a especificação de ombros-busto-comprimento para cada tamanho.
Parecer: Ótimo.


Aqui a composição está clara, assim como detalhes de modelagem. No entanto, no item "Medidas" eles colocam as medidas da modelo que aparece provando a peça. 
Que coisa mais inútil! A não ser que você tenha as mesmas medidas dela, de que adianta isso? Como saber como escolher entre P, M e G se não há informações?? 
Parecer: Insuficiente.
 

Há informações de modelagem e composição, seguida de informações precisas da peça para cada tamanho, incluindo qual tamanho a modelo está provando nas fotos.
Parecer: Ótimo.


A descrição da modelagem é pouca, só faz referência à gola ser um U profundo. Dá a composição, porém ao clicar no guia de medidas não há informação alguma, só uma tela vazia.
Parecer: Insuficiente.

Quando o site indica "tabela"ou "guia de medidas" o que você vai encontrar é um quadro com valores médios para cada tamanho -- é uma planilha geral, sem especificações, sem levar em conta a modelagem de cada marca, somente para você ter uma IDEIA do que vai encontrar ao comprar naquele tamanho. Não é certeza que um n.°42 ou M tenha 75-78cm de cintura, como descrito (vide abaixo). Pode até ter, mas é apenas uma adivinhação, a roupa não foi realmente medida.

Seguir tabela não é certeza de compra certa!


Com isso em mente, 'bora fazer compras e buscar sites novos.
E para mostrar que o que falei não é frescura, vejam o print screen do pedido que foi entregue ontem (este post aqui), sendo que todas as blusas ficaram PERFEITAS:


Um só pedido, uma mesma loja, tudo para a mesma pessoa. Tamanhos PP, P, M e G.
Viu como é difícil comprar roupas online? Só mesmo usando fita métrica e procurando por informações precisas para não dar [muito] errado.   ;)

quarta-feira, 26 de março de 2014

Entrega expressa do OQVestir

Domingo à noite, explorando a internet e as novidades em roupas, acabei escolhendo 4 blusas no e-commerce OQVestir.

Minha seleção :)))

Na hora de fechar o pedido havia a opção de frete grátis com entrega em 5 dias úteis e a possibilidade de entrega expressa, em 24 horas. Como eu estava ansiosa por ver as peças, escolhi esta última.
O custo é elevado: R$29. Porém, o serviço é de primeira!

Fechei meu pedido às 22h30 de domingo. Segunda-feira no final da manhã ele já estava sendo entregue!!!!
Gostei de ter testado esse sistema de frete expresso pois, se precisar de algo de um dia para o outro, já sei que posso contar com essa alternativa.

(Lembrando que estamos falando de São Paulo - Capital, onde o trânsito é imprevisível e, normalmente, congestionado. Estou impressionada. Muito bom mesmo!)

terça-feira, 25 de março de 2014

Texto: Prisão ou liberdade

Blogueira convidada: Marise Toschi


MorumbiShopping. Uma grande loja de departamento. Coleção nova, vistosa. Adiante, a gerente, que orientava um grupo de funcionários, observou que seria bom se produzissem peças para mulheres que não fossem tão magras. Comentário, em grande tom de desprezo, de um vitrinista:
"Quem quer usar fast fashion tem que ter corpo bom. Se não tem, que procure lojas especializadas".
Mimoso.

Na China, durante séculos, pés pequenos eram sinônimo de beleza. Por essa razão, a partir dos três anos meninas eram submetidas à prática torturante de ter os pés mutilados. Ataduras eram colocadas de forma a dobrar os quatro dedos menores até a sola do pé, forçando o calcanhar a entrar e acabando por quebrar os ossos. Se uma mulher não o fizesse não conseguiria se casar.

Na Mauritânia, ainda hoje ser obesa é ser bela. Para que façam um "bom casamento" mães forçam meninas a ganharem peso. O consumo calórico diário chega a 16 mil calorias. As crianças não podem dizer não. Se recusarem, são severamente punidas.

É fácil para nós dizer que tudo isso é absurdo e desumano, uma vez que estamos distantes dessas culturas. O fato é que os padrões de beleza se alteram de acordo com o local e o tempo.
No entanto, inseridos dentro de nosso próprio mundo, não percebemos que julgamos, classificamos e excluímos pessoas pelo simples fato de não corresponderem a um temporário padrão de beleza.
Quanta arrogância! Até quando vamos considerar inferiores aqueles que não se submetem 100% aos modelos impostos pela sociedade?

Neste momento, em que para alguns a beleza se limita a ser uma cópia de fotos de revista, é preciso despertar para um pensamento mais crítico, descobrir aquilo que nos torna únicos e expressá-lo. Com inteligência, vamos exercer o direito de escolher. Vamos ser livres.




Nos vemos no direito de julgar o que está distante de nossa cultura.
No entanto, por aqui...
Já pensou que Brooke Elliott, a linda atriz do seriado 
Drop Dead Diva, não teria vez em nossas fast fashion
e ainda seria tratada com desprezo por alguns?

Para pensar muito...

segunda-feira, 24 de março de 2014

Bota cut out

A cut out é a bota recortada que deixa parte do pé à mostra, criação da Balenciaga em 2011. Ano passado já tivemos um movimento de introdução dessas botas, mas neste inverno 2014 parece que a coisa realmente vai "pegar".
No entanto, só agora, com início do Outono e alguma baixa de temperatura aparecendo é que vamos poder abandonar as sandálias e sapatilhas e optar por calçar uma bota cut out. Então lá vai:
  1. Dá perfeitamente para uma enta usá-la, não é nada que chame tanto a atenção assim.
  2. Existem modelos delicados e existem outros horríveis, que mais parecem sapatos ortopédicos. Cuidado ao escolher.
 
Esta aqui é a minha, da Constance.

Comprei online, sem conhecer a loja. Troquei mensagem com a Kênia do blog A Saga da Bota e ela validou a loja com este comentário:
"Eu conheço a Constance há tempos, já tive várias sapatilhas de lá e todas eram muito confortáveis, então acredito que a bota também deve ser!"

Isso, mais o fato do custo x benefício estar ótimo, me fez arriscar nessa aquisição. 
Ela (ainda) está por R$160 e é linda!
É de camurça com as tiras e biqueira em couro liso. As fivelas são douradas e o zíper fecha no calcanhar. Gostei muito do solado antiderrapante e do salto médio (aprox. 5cm).

E você já vai entender porque falei que o custo está ótimo: olha só os preços que a Kênia coletou em seu post de 23 de fevereiro de 2014:


Isso posto, se quiser se arriscar na tendência sem gastar muito, esta é minha dica.
Realmente não acho que seja algo que vamos usar demais -- até porque quando ficar muito frio vamos querer as botas fechadas e quentinhas, não é?


Então, para finalizar: como é o conforto? 
É bom: passei o dia com ela e não me machucou. Levando em conta que não se usa meia com essa bota recortada, o ponto que mais incomodou foi a costura sobre o zíper do calcanhar. Eu não a calçaria para fazer uma tarde de compras no shopping, porém, para trechos curtos é bem razoável.
Ah! Comprei meu número habitual e o tamanho ficou bom. 
#aprovada  :)

sábado, 22 de março de 2014

Muito discernimento nessa hora

Ler notícias da moda nos atualiza e é uma boa diversão também. No entanto, estou achando cada dia mais difícil acreditar no que está publicado nas revistas e nos sites e blogs.
Quer um exemplo? Lhe darei dois, ambos desta semana.

Revista L'Officiel, em seu site:


É possível usar tênis aliados a roupas chiques? Claro, a gente pode sair de casa do jeito que a gente quiser, o gosto pessoal deve sempre falar mais alto.
No entanto, postular que essa combinação é uma coisa ótima para ser incluída em todos os guarda-roupas, indiscriminadamente, não dá.
Uma saia com casaco de tricot fica tão lindo com um scarpin, com botas, com sapatilhas. Por que agora inventar que devemos "misturar tênis com roupa chique"?
Não comprei essa história.


Outra
Petiscos, no Twitter seguido da imagem de seu site:


O vestido é lindo? Sem dúvida! A cor é maravilhosa e os complementos estão perfeitos.
Porém... olhe bem como o corpete está justo, fazendo um dos seios da atriz ficar prensado e saltado para fora.
Um erro desses no ajuste da roupa poderia ter sido objeto de crítica (com razão). No entanto, ao invés disso o elegeram como o melhor da noite (o tal do "não sobrou prá ninguém").
Igualmente não comprei esta história.


Ou seja: antes de simplesmente aceitarmos a opinião expressa pelos "conhecedores" de moda, vamos sempre pensar com nosso próprio gosto e discernimento para julgar se as notícias veiculadas devem ser levadas realmente à sério ou não.
Não ando concordando com muita coisa ultimamente. E você?

quinta-feira, 20 de março de 2014

Vestido inspirador

Às vezes uma peça de roupa me encanta de um jeito que preciso compartilhá-la aqui. Como este vestido de Prabal Gurung, disponível no site Moda Operandi.

 Modelo, cores, estampa: tudo perfeito!

O preço é absurdo -- por US$2095 -- e se viesse para cá então, seria mais que o dobro, a.k.a. inviável.
No entanto, é TÃO LINDO que fica como "inspiração do dia", ok?  ;)

quarta-feira, 19 de março de 2014

Psoríase – Cuidados com as Unhas


Guest Post: WSI Consultoria

A psoríase é uma doença cutânea que pode aparecer em qualquer idade. No entanto, existem dois períodos em que o desencadeamento da doença é mais intenso: na infância e na fase adulta (depois dos 40 anos). 

Quando as unhas são afetadas pela psoríase podem surgir depressões puntiformes ou manchas amareladas, principalmente nas mãos, engrossamento da pele embaixo delas e até queda das mesmas. 

Apesar de não haver cura para esta doença há tratamento e, no caso do problema ocorrer na fase adulta, há alguns cuidados a serem tomados: 
  1. Manter as unhas curtas – com a psoríase elas ficam mais fracas e suscetíveis a se soltarem da pele. Ao mantê-las mais curtas esse risco é reduzido. 
  2. Usar uma base de verniz endurecedor para preencher as depressões de sua superfície. 
  3. É possível usar unhas postiças enquanto espera que a sua própria volte a crescer.    

Mesmo quando frágeis elas podem ficar bonitas, só precisam estar bem cuidadas.


Este post é uma colaboração da
WSI Consultoria, que mantém um site com informações e suporte com o intuito de ajudar pessoas que têm psoríase a lidarem melhor com a doença.

terça-feira, 18 de março de 2014

Texto: Primeira pessoa

Blogueira convidada: Marise Toschi


No dia em que você foi embora não arrumei a cama, não lavei a louça, não reguei as plantas.
Fiquei sentada, de cabeça vazia, diante da televisão. Esperei.

De noite, dormi de luz acesa, temi os insetos, desafiei os espíritos. Rezei.

Depois, não tomei água, não passei creme, não fiz as unhas.
Comi chocolate, joguei paciência, faltei no trabalho. Chorei.

Então, a vida virou um tabuleiro de xadrez: casas brancas, casas pretas, dias bons, dias sombrios.
Respirei.

Um dia, coloquei flores em um vaso, cuidei do corpo e saí.
Não para encontrar ninguém, mas para aproveitar o presente e ser minha melhor companhia.
Me encontrei.

segunda-feira, 17 de março de 2014

As franjas e os sapatos

Lembra que falei (neste post aqui) que provavelmente escolheria um sapato para entrar na moda das franjas, ao invés de roupas ou bolsas? Foi exatamente o que aconteceu!

Passei na Arezzo e vi inúmeros modelos franjados. De botas a mocassins e scarpins.

Foto do catálogo virtual da marca.

Experimentei vários, em muitas cores e em tamanhos diferentes de saltos, desde o rasteirinho até os de 5cm. Mais alto que isso eu não me arrisco...

Decidi por um scarpin cinza com a franja em azul marinho. Primeiro porque não tenho nenhum sapato cinza no momento e depois porque achei a combinação muito curinga: vai muito bem com jeans e foge do eterno preto básico.


Já fui a louca por cinza, meu guarda-roupa todo se baseava no cinza como o básico dos básicos. Depois, como tudo, acabei enjoando e passei para o preto e o jeans. Mas continuo achando o cinza uma cor chique e muito usável.

Aqui uma foto da Arezzo que mostra bem melhor como é o sapato, só que este está em branco e preto:

Ok, nada como uma foto de estúdio para mostrar os detalhes. ;D
Viram o salto, como é lindo? Contornado em prata, muito diferente.
E a correntinha que passa sobre as franjas é delicada e no tom perfeito: 
prata escuro, como se fosse rodinado.
 Valor: R$240


A Arezzo está fazendo uma campanha forte para emplacar várias tendências ao mesmo tempo. Somente neste catálogo inverno 2014 ela coloca cinco: 

PUNK NOW - Fivelas e amarrações são elementos chave nas botas do Inverno 2014.
CORTA ESSA! - As botas recortadas sāo a grande novidade da temporada.
50 TONS DE CINZA - Cinza é tendência e nós apostamos nessa com tudo!
IT'S A MEN'S WORLD - Sapatos masculinos sāo a escolha do momento no closet das antenadas.
SE JOGA NO XADREZ - O xadrez é símbolo fashion do Inverno 2014.


Eu gosto de uma novidade, acho que todo mundo que acompanha moda gosta. No entanto, é insano correr atrás de tudo que a moda inventa. A gente deve escolher peças que tenham a ver conosco, que combinem com nosso estilo, e não comprar tudo só porque estão dizendo que é "trend".

Franjas são uma paixão antiga, esta eu tinha que resgatar. Mas por favor: não é porque falo aqui de "tendências" que estou apoiando toda e qualquer ideia de compra. A informação está aqui. A escolha é toda sua. Não há obrigação de seguir moda. ;)

domingo, 16 de março de 2014

Shopping Morumbi e fast fashion: Zara

Em um dia de visita às fast fashion não poderia faltar a Zara.
Normalmente eu sempre acho algo legal ou desejável na Zara, eles costumam ter camisetas com estampas bonitas, boas malhas, um ou outro sapato interessante e diferente.
Desta vez, no entanto, não encontrei nada. A loja praticamente inteira estava em branco e preto. Os estampados eram brancos & pretos. As blusas eram pretas. Ou brancas. Muito sem graça para quem, como eu, gosta de cor.

No final acabei vendo num manequim que estava com um vestido de couro fake -- adivinhem: preto -- um acessório colorido e contrastante, que dava vida ao conjunto. Era um colar com spikes e cristais, lembrando um red tartan.

Adorei o inusitado da peça: você usa tartan vermelho e preto mas, ao mesmo tempo, está usando algo imprevisto, não é a típica camisa xadrez. Você se insere na tendência com um colar!


O preço? Foi caro: R$99. Mas somente quem o viu fazendo TODA a diferença no look montado é que pode dar valor à peça.
Ele acendeu o vestido preto, transformou algo muito comum e escuro em um look antenado, moderno e colorido.
Espero que ele faça o mesmo pelas minhas inúmeras camisetas pretas. ;)

sábado, 15 de março de 2014

Shopping Morumbi e fast fashion: C&A com coleção MOB

Estava curiosa por esta coleção MOB para C&A. Gosto da MOB, costumam caprichar na estamparia e ter peças diferentes. Li bastante sobre essa parceria e muitas blogueiras estavam gostando do resultado.

Não precisou muito para saber onde estavam as peças: havia um aglomerado de mulheres num dos corners da loja. Não sei se foi a dificuldade de transitar entre as araras ou se realmente as roupas não estavam legais, fato é que me desencantei rapidinho da coleção.

Vi esta blusa preta com bordado nos bolsos. Não achei tão bonita ao vivo como está na foto. O tecido é um pouco transparente e deu a impressão que o bordado vai pesar e deformar a peça quando estiver no corpo.

Minha irmã provou este vestido. Está lindo na foto -- no corpo pareceu um robe ou uma lingerie de dormir.

Esta malha com zigzag era a única coisa que eu realmente queria ver: não tinha...

Em compensação, este conjunto horrível tinha aos montes.


Muitas roupas tinham seu equivalente em peças miniaturas, para mães e filhas. A ideia é ótima e as roupas pequenas eram muito lindinhas. Só que isso atrapalhou ainda mais a procura de peças, pois as roupas mirins ficavam junto com as de adulto.

Resultado: saí correndo e não comprei nada. 

P.S.: se você veste 42 ou mais, vai ser difícil comprar algo. As araras estavam lotadas de 38 e 40, poucas peças fugiam a essa numeração.

Shopping Morumbi e fast fashion: Renner

Ontem no shopping saí do estacionamento e dei de cara com a Renner. Normalmente não entraria, mas estava praticamente já dentro da loja e resolvi dar uma vasculhada no que tinha lá. Fiquei muitíssimo bem impressionada! A loja é imensa e a parte feminina toma a maior parte do espaço.

Se vocês conhecem a Renner devem estar acostumadas aos gêneros de roupas que ela tem: uma parte bem social, para quem trabalha em locais mais formais, com terninhos, camisas; uma parte mais jovem, com jeans e muitas camisetas; uma outra área de roupa esporte fino com mais liberdade de criação.

As prateleiras estavam sendo arrumadas para as novas coleções de inverno, priorizando a exposição de blazeres, moletons, casacos.

Andando por lá vi uma bolsa preta com duas asas em metal prata que me chamou a atenção de forma hipnótica! Arranquei-a da exposição, vi o preço: R$129. Foi irresistível!!! Sabe algo que combina demais com você? Foi assim...

 É uma sacolona, só um fecho no meio.
Dentro é toda forrada, com zíper para dinheiro e local para celular e para cartões.

E olha esse couro sintético que bonito! Todo trabalhado, todo rock&roll!

Com a bolsa na mão continuei a pesquisa. Das roupas só me encantei com esta camiseta:

Depois de um ano comprando camisetas pretas e cinzas, mudei de fase e estou comprando 
blusinhas brancas. Gostei demais desta, por ser branca com azul -- super usável.
Custou R$40 e é bem macia: 50% algodão e 50% poliéster 
(não dá para fugir totalmente do poliéster em fast fashion...)

E por fim escolhi dois cintos também rock&roll: o caramelo é todinho de tachas pratas e pretas (R$40) e o preto tem tachas e cristais brancos (estava por R$49,90 mas passou no Caixa por R$36)

Fiquei muito satisfeita com as compras. Por mais que eu tenha bolsas grifadas nenhuma é tão rocker quanto esta de hoje. Aliás, ela é a única de couro sintético do meu armário -- mas o que se vai fazer quando o coração é quem escolhe?

Enfim, achei a Renner divertidíssima e proveitosa. Já a incluí na lista de lojas a visitar quando for a shopping!  :D

Shopping Morumbi e suas novidades: Parfois

A rede portuguesa Parfois chegou ao Brasil, a festa de inauguração de sua primeira loja foi dia 13, esta semana. No entanto, eles já estão funcionando e abertos ao público há 15 dias.
Como não foi amplamente noticiada esta abertura e a loja em si é pequena, o movimento estava tranquilo, sem a loucura da Forever 21.


É uma bonita loja de esquina na parte conhecida como "extensão nova" do Morumbi Shopping.
Há muitas bijuterias, porém a maior área da loja é ocupada pelas bolsas. Completando a coleção há toda sorte de acessórios, como óculos de sol, chapéus, echarpes e cintos.


A gerente atual, Ana, portuguesa super simpática que está no Brasil treinando a nova equipe de vendedores, confirmou que os produtos são todos desenhados pelas equipes da rede, nos escritórios de Lisboa. Depois a manufatura é terceirizada, porém os modelos permanecem sempre originais da Parfois.


 
Olhem só esta bolsinha de festa: de metal, toda cravejada com pedras coloridas, um luxo! 
Preço: R$249

R$219 esta bolsa, acredita? Numa cor de gelo extremamente usável, gostei muito!

A mesma bolsa em outra cor, esta mostrando o detalhe que as acompanha: 
uma carteira, no mesmo material, que vem acoplada à grande.



Na Parfois eu comprei algumas coisas: dois broches de besouros (adoro!), um colar comprido e óculos de sol. 
Já vou avisando: os preços não são os melhores, gastei bastante para uma compra pequena. Mas fiquei satisfeita com o resultado, gostei realmente de cada peça que escolhi.

O tom do prata deles é exatamente o que mais gosto: rodinado, um prata quase preto.
O colar é lindo, já usei hoje! Custou R$79

 Detalhe dos besouros <3  (saí da loja já com os dois na camisa, rs). R$49 cada.

 E os óculos de sol, por R$69

É como falei acima: não é uma loja onde tudo é barato. As bijoux estão meio salgadas. Mas os óculos e as bolsas estão com valores bons. 
É uma boa novidade: uma fast fashion de acessórios muito difundida na Europa e que agora também temos por aqui.
Conclusão: vale a visita.