sábado, 29 de novembro de 2014

Black Weekend

Gente, acabei de comprar este colar MARA por R$45!

 Acreditam?

Onde? No site Dolores Iguacel, neste link aqui.

Era de R$280 e na Black Weekend está por R$45.
CORRE LÁ!!!


É, sem dúvida, a melhor oferta deles. No entanto, muitas outras coisas bonitas estão com preços reduzidos, como a seleção abaixo:

Balancei com estes três, principalmente o índigo. Se não estivesse com a consciência tão pesada por ter mais bijoux do que consigo usar, com certeza esse teria ido para meu carrinho de compras...

Esta pulseira é uma opção muito legal:

Tenho umas parecidas, da Butler&Wilson, que uso demais.

Colar orquídea, lindo!



Colar sapinhos :D


E mais um monte de brincos, tiaras, outros colares e pulseiras. Vale a pena olhar o site.

Por enquanto essa foi minha única compra do Black Friday / Weekend. Se encontrar alguma outra oferta incrível, prometo avisar. ;)

A economia do cafezinho

Todo mundo já deve ter lido em algum texto como economizar com pequenos gastos do dia a dia. Uma das dicas é cortar gastos considerados supérfluos, como o hábito de tomar café fora de casa.
E o pessoal faz altas planilhas mostrando que aqueles poucos Reais, multiplicados pelos anos e aplicados em ótimos investimentos, renderiam uma fortuna após 30 anos.

Mas gente, a vida acontecerá somente daqui a 30 anos? E durante todo esse tempo até lá, vamos deixar de nos dar um agrado e ficar infelizes porque não podemos nem sequer tomar um cafezinho caprichado todo dia?


Amo o café e o cappuccino da Kopenhagen e, quando estou meio down em casa, uma visita à loja -- que é super perto -- me traz de volta um pouco de ânimo.

E também adoro a Starbucks. Viram os novos copos de Natal, todos vermelhinhos, que lindos?


São lojas que oferecem excelente bebidas -- a preços altos, é verdade. No entanto, o prazer de se dar esse pequeno luxo, de satisfazer um desejo pequeno, é o que dá sabor e VIDA ao dia a dia, é o que nos anima para enfrentar lutas maiores.

Cada vez mais estou focando no presente, tentando vivenciar o que existe de bom HOJE, sem aguardar um futuro onde, teoricamente, dever-se-ia aproveitar a vida.

É mais ou menos o seguinte: escolha suas batalhas. Eu decidi não lutar contra o café nosso de todo dia e sim aproveitá-lo ao máximo. E sou feliz com essa opção!  ;)

Carpe Diem!

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

"Nem tudo é para seguir"

Num artigo em que várias pessoas da moda davam dicas de como usar flats, o editor e stylist Paulo Martinez foi 100% sincero:

Não poderia concordar mais com ele. Perdi a conta do número de fotos e artigos em que acho tudo horrível e fora de propósito e, no entanto, os comentários das leitoras são todos na base do "lindo" e "adorei", endossando a novidade.
Exemplo? Esta foto do desfile Verão 2015 da Triton na SPFW:


Ou esta senhorita inovando o uso da camisa:

Ok que moda existe para dar liberdade de expressão. Logo, se alguém achar esses exemplos realmente bonitos, deve mesmo sair com eles na rua.
O que não pode acontecer é acreditarmos em dogmas, tipo "o que está na revista/blog/site é belo e deve ser usado".
Temos que ficar espertas para não comprarmos cegamente a opinião dos experts pois "nem tudo que a imprensa de moda fala é para seguir".
Ótima lição!

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Valentino arco-íris

A Valentino criou sua coleção Resort 2015 com 83 looks em releitura criativa da coleção Valentino de 1973, onde arco-íris, estampados e psicodélicos se fundem. Já neste mês de novembro as peças estarão disponíveis nas lojas da marca no Brasil.

As coleções Resort ou Cruise são lançadas normalmente em novembro, após a Coleção Outono-Inverno das grifes do hemisfério norte. São pensadas para mulheres que, em pleno inverno, precisam de roupas mais leves para usar em férias em locais de clima ameno, como no caso de cruzeiros no Mediterrâneo. Ou seja: é uma coleção claramente voltada para um público elitista.

Com isso em mente, vamos ver o que Valentino pensou para este Resort de 2015.

Foto: Divulgação
O modelo queridinho da Valentino, a bolsa Va-va-voom, também está disponível em technicolor.
 As bolsas da foto têm preços variando de R$5 mil a R$12 mil.

Como se nota, são modelos nada discretos e que não seriam a primeira escolha de quem (como a maioria de nós) adquire somente poucas e boas bolsas de grifes escolhidas à dedo. 



O clássico rock stud em versão resort.

 Até os casacos vieram estampados.


 Em miçangas, uma delicadeza de bolsa!


Fotos: dreamsofmylittleworld

É, sem dúvida, uma coleção inspirada e muito bonita. No entanto, nada básica. Conclusão:
Para poucas.


P.S. de dez/14:
Olha uma foto com o scarpin Valentino:

  
Sinceramente? Sapato de palhaço. Essa ideia não deu certo na prática!

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Scarf Me por Têca/Helo Rocha

Adoro um bom lenço, quem não? E desta vez a Têca/Helo Rocha, que faz coleções maravilhosas e que sempre estão na minha lista de desejos, fez uma parceria com a Scarf Me e lançou duas estampas de lenços que já foram desfiladas no SPFW (06/nov/14):

Look com lenço:

O bom mesmo é que a parceria não terminou aí: eles estão produzindo juntos uma pocket collection que terá vestidos, saias, camisas, macaquinho e um kimono. Bem legal, né?

Quem vai querer conferir a novidade?  o/

terça-feira, 25 de novembro de 2014

David Tennant

Dos Doctors Who das séries novas continuo mega fã do 10th: David Tennant é simplesmente fantástico no papel, com seus 903 anos de idade, todos os arrependimentos envolvendo a guerra de Gallifrey ("the one who regrets") e, ao mesmo tempo, é o mais risonho, o mais divertido. Nos piores momentos ele se descontrai e encara tudo como se fosse uma grande brincadeira, mesmo quando está em jogo salvar a própria pele e o mundo.

Seu rosto é super expressivo e a sobrancelha esquerda levantada é um charme.


Adoro a roupa que ele escolheu para o Doctor: terno risca de giz, camisa, gravata, sobretudo comprido sempre usado aberto e... tênis all star. Ele varia a cor dos tênis a cada capítulo, muitas vezes vermelhos, outras brancos ou pretos. Muito legal!

Quem gosta do trabalho do David Tennant precisa assistir as séries Broadchurch e Gracepoint. É a mesma história, um drama onde dois detetives investigam o assassinato de um menino em uma minúscula cidade costeira. Sério: é exatamente a mesma história. O sucesso de Broadchurch, versão original inglesa, levou à produção do remake americano, que recebeu o título de Gracepoint. E o melhor: David Tennant faz o papel do detetive nas duas.

Curiosidade: A série original também teve seus direitos de adaptação 
adquiridos pelo canal France 2, da França.

O mais incrível? No papel americano ele fala sem nenhum sotaque inglês! Nada mesmo. Para quem está acostumado a ouvi-lo em Doctor Who e em Broadchurch, é mega diferente ouvir sem o "british accent".

A série Spies of Warsaw também o tem como protagonista, e está disponível na Netflix. Sinopse: "Enquanto a Alemanha se prepara para a guerra mundial, o coronel francês Jean-François Mercier tenta convencer os líderes franceses do crescente perigo à sua volta."
Comecei a assistir, adorei a atuação e a filmagem, porém o tema guerra é muito pesado para mim, preferi parar antes de ficar triste.

E dia 16/nov próximo passado ele ganhou prêmio de melhor ator por outro trabalho, "The Escape Artist".

    

E é assim, em traje típico escocês que ele recebe seus prêmios.
Na foto com Billie Piper, a eterna Rose Tylor, sua companion em Doctor Who.



E aí, também são fãs de David Tennant ou estou sozinha nessa?

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Doctor Who - DVDs

Desde o primeiro post sobre Doctor Who para cá já foi lançada toda a oitava temporada (da contagem recente, iniciada em 2005) com o 12th Doctor, interpretado por Peter Capaldi.

O 12th Doctor tem essas sobrancelhas sempre cerradas e aparência austera, porém em muitos episódios ele implica e age como criança, o que foi uma super sacada: o mais "velho" doctor é, na verdade, meio moleque.


Se você é fã da série precisa ficar de olho no lançamento dos DVDs: o box com a Primeira Temporada do 9th Doctor, Christopher Eccleston, foi lançado e esgotou em todas as lojas. 
A boa notícia é que estão relançando-o em esquema de pré-venda, e a data prevista para o box chegar às lojas é 22/01/2015.

Os demais DVDs disponíveis, ou em pré-venda, são: Segunda e Terceira Temporadas, com o 10th Doctor, David Tennant  {<3}, e DVD Doctor Who 50th Anniversary "The Day of the Doctor". 

Fiz pedido dos quatro títulos no Ponto Frio (aqui) pois foi o único site que disponibilizava todos para compra. O site da Livraria Saraiva, por exemplo (link), tem uma quantidade enorme de livros relacionados ao Doctor, porém não tem todos os DVDs.

O duro vai ser aguardar até final de janeiro para receber a encomenda. Por enquanto, revendo os episódios pelo Netflix mesmo...

sábado, 22 de novembro de 2014

Oficina de Estilo - blog e cursos

A Oficina de Estilo é uma empresa criada por duas consultoras de estilo pessoal e tem uma filosofia bem legal: o mote dela é "Substitua consumo por autoestima".
Isto é, ao invés de focar em novas aquisições, elas trabalham visando que as clientes alcancem mais autoconhecimento -- e valorizando também o que elas já têm no guarda-roupa, criando uma visão diferente das peças, por exemplo ao compô-las com outras cores e acessórios.

Apesar de acompanhar as postagens do blog e achá-las ótimas, e de sempre ficar com vontade de me inscrever em algum dos cursos que são ministrados, não compartilho com a visão de "bonito" que elas têm.

As fotos que elas postam de clientes arrumadas pós-consultoria sempre me decepcionam.
As abaixo foram coletadas aleatoriamente, são as três fotos que foram postadas entre ontem e hoje via Twitter.

Achei a combinação de cores, de estilos e de tamanhos totalmente inadequada. 
Jamais sairia de casa assim...

 Na minha opinião o colar não tem nada a ver com o restante do look.
A blusa é linda mas essas três peças juntas... não ficou bom.

A textura da saia com a estampa da blusa deu um resultado interessante.
Porém: fita amarela amarrada à cintura???

E aí fica a dúvida grande: fazer um curso com instrutoras que têm gosto totalmente diferente do meu, será que vale a pena? Mesmo que elas tenham muito para passar (e tenho certeza que têm), quanto será perdido pelos exemplos e indicações que não condizem com meu gosto e não servem para o meu ponto de vista?

Em todo o caso, fica aqui a chamada do próximo curso da ODE:

Se alguém se animar, depois me conta como foi, pls!

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Consumo consciente

Tenho que começar o post admitindo que não sou a pessoa mais indicada para falar sobre consumo consciente por ser uma completa apaixonada por Moda, e isso cobra seu preço. Muitas vezes eu compro para ter aquela peça fantástica em mãos e poder namorá-la, mesmo sabendo que praticamente não irei usá-la.

Por outro lado, a maturidade também se mostra nas escolhas: Se já tive meus cinco minutos de comprar pechinchas pelo eBay (meus posts sobre isso não me deixariam negar), atualmente só compro qualidade, mesmo que custe caro. Uma prerrogativa que as entas podem exercer, visto ter mais poder aquisitivo que as gerações mais novas (isso via de regra -- Thássia Naves excluída da estatística, por favor).



O outro lado da moeda da Moda
Stella McCartney para C&A. Versace para Riachuelo. PatBo para C&A. Llas para Riachuelo. Calvin Klein para C&A. Juliana Jabour para Riachuelo. E por aí vai...

As grandes redes de fast fashion nos atiçam incessantemente com novidades, com alguma coleção especial, com propagandas e incontáveis posts nos blogs de moda. Tudo isso gera, até em quem não precisa daquela roupa e nem é fã daquele estilo, uma ânsia em não ser a única a ficar de fora de tão esperado lançamento, de tamanha oportunidade de comprar uma marca internacional a preço de China.

Mas o que ocorre realmente? A correria pelo novo (a histeria coletiva?) acaba em aquisição de produtos inúmeras vezes mal costurados, em tecidos sintéticos, em cortes que não nos favorecem e, ainda por cima, em peças que vão ficar encostadas no guarda-roupa.

A Nuta, uma das autoras do blog Girls With Style fez um post PERFEITO sobre esta questão do consumo, este aqui: Slow Fashion.
Leia este trecho:
"Com as novas tendências que saem a cada semana, o objetivo do fast fashion é para que os consumidores comprem tantas roupas quanto possível, o mais rápido possível.
Se a essa altura do texto você também já acha que tempos os motivos suficientes para desacelerar, imagina se eu te falar que esses são os motivos mais fúteis? Não adianta mais tapar o sol com a peneira, gente. A forma que consumimos moda está fazendo mal ao nosso planeta, a nossa saúde física e mental e destruindo vidas de seres humanos e animais."
Depois de um alerta desses, quem ainda vai ter coragem de ir conferir Stella McCartney e Versace amanhã, se não estiver precisando de nadinha?
Acho que a palavra de ordem atualmente é: critério.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Tatuagem tem mostra em Paris

A edição de novembro da Vogue Brasil traz o artigo "Questão de pele", onde fala sobre a exposição no Musée du Quai Branly sobre tatuagem.

Esta foto que ilustra o artigo é tão linda que me fez querer comentá-lo aqui.
Texto:
"Em 1769, o navegador e explorador James Cook ficou boquiaberto quando ancorou no Taiti: para sua surpresa, em vez de roupas, todos os homens e mulheres daquela ilha do Pacífico cobriam seus corpos somente com desenhos gravados na pele. O britânico descreveria em seu diário o que havia testemunhado como “tattoo”, uma versão do termo polinésio “tatau”, onomatopeia que reproduz o som de um martelo batendo nas conchas afiadas, que serviam de agulha para pintar a pele.

A palavra tatuagem pode até ter nascido ali, mas o homem vem marcando seu corpo há pelo menos cinco milênios – Ötzi, múmia de 5.300 anos atrás descoberta em 1991 na fronteira entre a Itália e a Áustria com desenhos pelo corpo, é a prova disso. Agora, uma fascinante mostra no museu do Quai Branly em Paris mistura antropologia, sociologia e arte para retraçar a longa história da tatuagem e de seus diferentes usos até os dias de hoje, manifestação que atualmente não se limita a gênero, classe, sexo, nem nacionalidade."


Se durante muitos séculos a tatuagem foi vista como marginal e só era usada por grupos específicos como prisioneiros, marinheiros e tribais, nas duas últimas décadas se tornou uma linguagem corporal aceita e usada por toda a sociedade. Atualmente o preconceito é menor e a tatuagem não é mais vista como algo transgressor, e sim, como uma forma de arte que é usada sobre o próprio corpo.


Tattoo e a moda: nos desfiles verão 2012 da Chanel e verão 2014 da Maison Margiela  
(Foto: Vogue Brasil - © Jake Verzosa, © The Leu Family’s Family Iron, ©courtesy Herbert Hoffmann And Galerie Gebr. Lehmann Dresden/berlin, Marcio Madeira e Divulgação)


Vinte e um dos maiores tatuadores do mundo foram convidados pelo Musée du Quai Branly para realizar projetos inéditos em modelagens de silicone, mostrando ao mundo essa "forma de expressão artística".

Eu tenho uma tatuagem e gostaria de fazer outras, tenho sérias intenções nesse sentido. Mas não vou mentir: há um certo medo do ridículo por estar fazendo tattoos aos 50', é só isso que me prende.

Admiro a Cris Guerra, linda com suas tatuagens, sem ligar para o que o mundo diz. Ela sempre as usa como complemento do look, adoro.


Adoraria visitar essa exposição em Paris!
Se você tiver oportunidade, ela estará aberta até outubro de 2015.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Cori online

Cori é uma marca que admiro há muito tempo. Ela consegue ter um lado fashion ao mesmo tempo que mantém uma linha sóbria e que funciona perfeitamente para as entas.
O corte é de alfaiataria, os tamanhos são reais e vão até GG ou 46.

 Catálogo de Verão: amei a pantalona!

Além das lojas em shoppings agora temos a opção de comprar via e-commerce: a Cori está com vendas online nas plataformas OQVestir e Farfetch
Os preços são tabelados, não faz diferença qual o local da compra, será sempre o mesmo custo que na loja física.





As peças têm um custo relativamente alto, condizente com a qualidade. Eu usaria tudo que separei acima (menos o sapato de salto devido a realmente não poder mais calçar saltos).

O bom da Cori é a veia fashionista da marca. Ao lado de roupas bem formais você encontra opções com corte moderno, com estamparia da moda, além de bolsas e sapatos antenados com o que foi desfilado nas passarelas.

É, sem dúvida, uma excelente escolha para procurar roupas adultas, visto ser uma marca que não foca somente no jovem. Vale conhecer.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Clutchs de Verão

Muita gente reclama que todo ano as roupas e acessórios se enchem de flores e frutas assim que mudamos de Inverno para Primavera-Verão. Particularmente gosto dessa vibe. As estampas multicoloridas e tropicais transmitem uma enorme alegria, acho renovador que tenhamos isso na Moda.

E sabem que as clutchs também se vestiram para o verão?
Fiquei encantada com esta da Lez a Lez, pois é exata o tronco da bananeira ornamental, olha só:


 Está R$220 no site da marca (aqui)

A Animale também entrou na onda das clutchs tropicais e escolheu estampá-las com pássaros: araras e tucanos.

A clutch de ararinha está R$398 (aqui)


E a de tucano está R$458 (aqui). [Bem caras, não é?]
 

Para terminar, uma clutch que não tem nada de tropical além da cor turquesa, mas que é tão linda que não podia ser deixada de fora do post:

 Por R$383, aqui.

Como já disse antes, prefiro as bolsas grandes, que cabem o mundo dentro. Porém essas clutchs coloridas têm o poder de se tornarem o ponto focal do look e trazerem uma brisa de verão até para uma roupa que não esteja muito inspirada. Se você consegue miniaturizar seus pertences, é hora de apostar em uma!