quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Último dia de 2014

Mais uma volta completa da Terra em órbita do Sol. Um ano.
Quem escolheu 1° de Janeiro como início do ano? A data é arbitrária. Porém já está tão arraigada em nós que realmente chegamos a acreditar que o ano MUDA neste dia.

É bom porque dá um sentido de renovação, de novidade, de esperança. 


E é nesse espírito que desejo a todos um ótimo 2015, com saúde, alegrias, companheirismo e amor!

P.S.: Neste link o melhor e mais lúcido texto que já fiz sobre "mudança de ano". Vale reler. <3

P.S.2: Não resisti a estas fotos:

É muito amor!!!
 

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Livro: Man Repeller

Li tantas opiniões falando bem do blog Man Repeller e do livro correspondente que resolvi lê-lo. O fato de ter a ver com moda ajudou também, é claro.


Apesar do livro emprestar o mesmo nome do blog que fala sobre moda ele é, na realidade, a autobiografia da autora. Contando desde sua infância até vinte e poucos anos, ela pontua o quanto sua vida sempre foi influenciada por roupas, sapatos e bolsas.

Ao desenvolver um gosto peculiar de se vestir -- pense em calças saruel ou em shorts de cintura alta, esta é a ideia -- uma amiga apelidou seu estilo de "man repeller" (repelente de homem).
Usando a expressão como tema ela criou o blog que logo ficou incrivelmente famoso.

Leandra escreve com fluidez e de forma fácil de ler. Mas não espere uma biografia nos moldes habituais. A cronologia é meio atrapalhada e o foco é em se depreciar sempre. Não há situações comuns, somente registro das embaraçosas ou nitidamente grotescas.
Isso traz um lado cômico ao livro, não se pode negar, porém é um tanto caricato demais e às vezes beira o desagradável. Penso que ela poderia ter conseguido o mesmo resultado usando de mais elegância e menos rudeza em seus temas e textos. Enfim...


Trechos que gostei:
"Uma vez tentei diminuir o conteúdo do meu armário. Algumas teorias dizem que o estilo inato de uma mulher francesa é tão superior ao de sua contraparte americana porque ela vive de acordo com um 'código do guarda-roupa' que lhe permite apenas cinco itens por estação: uma calça boa, uma blusa boa, um vestido bom, uma jaqueta boa e bons sapatos. Mas onde ela consegue encontrar tanta bondade?"      :D - p.152

"Na caminhada de 43 quarteirões até minha casa (o dia estava bonito e meu calçado era confortável), pensei nos sapatos. Não apenas nos que estavam na sacola nem nos que tinha nos pés, mas em todos eles. O que os sapatos possuíam que me faziam sentir tão forte e maravilhosa? Embora eu fosse uma antiga adepta da premissa de que o dinheiro não compra a felicidade, os sapatos deixavam claro que certamente era possível alugá-la."      :D - p.177


No final das contas o que se vê é uma moça com personalidade forte, que luta por seu gosto pessoal e não se importa com o que a moda ou a sociedade nos passa como "correto". Tem seu valor ao se manter fiel às suas convicções, mesmo que suas escolham pouco agradem ao resto do mundo.

Conclusão: o livro é uma diversão leve para algumas horas, sem maiores compromissos. Só leia se não tiver nada mais interessante na estante.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Organização de final de ano: arquivos

Acho que sou uma acumuladora de arquivos. Sabe daquelas pessoas que têm tanto medo de faltar algo em suas casas que guardam desde jornal velho até comida vencida? Essa sou eu, mas somente no computador.

Explico: como boa enta, venho de uma era [pré-histórica?] onde não existia internet. ***insira aqui sua exclamação de espanto ou horror***

Quando se queria, por exemplo, comprar cadeiras para escritório, você ia procurar por anunciantes de cadeiras nas Páginas Amarelas, que era uma lista telefônica constantemente desatualizada e que nos levava à loucura, ou recorria aos catálogos que haviam sido coletados e arquivados ao longo dos anos, para uso eventual e que muitas vezes já estavam obsoletos. Sentiu o drama?

O resultado é que ainda hoje meu EU interior acha que, se eu não guardar diligentemente a informação/artigo/texto que me pareceu útil, ele vai evaporar e nunca mais vou encontrá-lo. Com isso, somente na minha pasta de "triagem" de artigos tenho mais de 2 mil deles aguardando vistoria, renomeação, organização e arquivo final.

Pergunta: vale a pena continuar fazendo isso?

Representação física da bagunça virtual do meu micro. :)

Na verdade, volto para reler bem pouco do que eu arquivo.
Mas e o medo de querer aquela foto maravilhosa de sandália e não conseguir mais lembrar onde a vi e qual era a loja ou o estilista? E o texto fantástico sobre organização de guarda-roupas com 10 dicas, onde está? Como vou fazer se na internet só consegui encontrar um com 7 dicas? Cadê as outras três??? Como vou viver sem elas???

É assim que me sinto. Deu para entender?

E arquivar assuntos de moda tem outro inconveniente: eles ficam obsoletos rapidamente. É só entrar o próximo desfile e o Verão 2015 para que a alpargatas étnica fique fora de moda ou a Chanel do dia seja diferente daquela que você coletou como ideal.

Eu realmente quero organizar. Mas, como?

Estou entre deletar tudo ou ficar com tudo. Lembra que falei ontem sobre como é imprescindível ter um CRITÉRIO para se organizar o que quer que seja? Mais uma prova que isso é verdade. Até eu conseguir definir um, a pobre organização de final de ano de arquivos está 100% comprometida.

Alguma dica?  :(


Em tempo: blogs que falam de organização
http://alegarattoni.com.br/ 
http://vidaorganizada.com/ 
http://sernaiotto.com
São ótimos, apesar de que não conseguiram me ajudar nesta encruzilhada. Acho que ainda não tiveram público de acumuladores virtuais.

sábado, 27 de dezembro de 2014

Organização de final de ano: sapatos

Parece clichê mas realmente esta época de final de ano nos inspira a arrumar espaços, a limparmos nosso entorno, visando começar o ano novo com boas vibrações.

Não sei vocês, mas eu tenho muitas coisas a arrumar! Minha escrivaninha teima em juntar papéis que não sei de onde vêm; há excesso de roupas, principalmente camisetas (um vício) que precisam urgentemente serem triadas; e excesso de sapatos que se espalharam por três locais diferentes.

Usando um ensinamento que li no blog Vida Organizada resolvi que hoje iria atacar UMA frente só: escolhi os sapatos, até porque meus presentes de natal foram novos pares, que estavam sem-teto.


Não foi fácil. Eu compro sapatos não pela praticidade ou conforto e, sim, pela aparência. Gosto dos coloridos, dos diferentes, dos enfeitados, com brilhos, com cristais -- resultado: tenho praticamente pares únicos, cada qual específico para um tipo de roupa ou ocasião.

Se fosse organizar por originalidade teria que manter todos, não haveria o que ser retirado da lista. Como excluir o de pied de poule? O de tigre? O improvável amarelo com aplicação de aranha?

A solução foi esquecer um pouco o visual e priorizar a procedência.
Mantive todos da Tatiana Loureiro (sapatilhas e sandálias que são extremamente confortáveis -- com o bônus de serem incomuns), os de grife (Prada, Chanel, etc.) e, finalmente, fiz somente duas ou três concessões à originalidade.

Resultado: Enchi duas sacolas para doação. Todos os pares que ficaram couberam novamente no guarda-roupa, nos locais específicos para eles, e... eu estou mais leve!


O que aprendi com isto

a) É muito boa a dica de somente atacar uma frente por vez. 
Tenho ímpetos de colocar tudo abaixo, roupas, sapatos, bolsas, etc., e depois remontar o guarda-roupa. Ainda bem que fico somente na vontade! É um erro: você acha que vai arrumar TUDO e, no final do dia, está exausta, com 80% ainda fora do lugar e, logicamente, desesperada.

b) É absolutamente necessário ter um critério claro para a triagem.
Se não houvesse decidido antes de começar a limpeza qual seria o método de análise dos pares, com certeza teria tudo voltado para seus (três) lugares anteriores. Afinal, se algum dia você comprou aquele sapato (vale para roupas, para tudo), é porque você GOSTOU dele. E tirando o caso dele estar desgastado, você provavelmente continua gostando. Como deixá-lo ir? Assim: Se não encaixou no critério, é descartado.

Para roupas o raciocínio é similar, podendo ser: só manter o que veste bem; o que está na moda; o que é seu estilo; o que tem cores que lhe favoreçam; etc. Cada pessoa sabe o que é mais importante para si.


Se a gente não organizar os pertences esporadicamente corremos o risco de ter mais coisas do que conseguimos usar: por falta de oportunidade ou -- pior, e que acontece muito -- por ter esquecido que tinha aquele item (objeto, roupa, sapato, etc.). [Dei vários pares sem uso, sei do que estou falando].

Sugestão? Anime-se e aproveite estes últimos dias do ano para organizar algo que seja importante para você. A sensação final é ótima!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Livro: Sapatólatras Anônimas

"Quatro mulheres diferentes calçando o mesmo número... E todas desejando sapatos deslumbrantes... E você, está satisfeita ou quer lotar ainda mais seu armário?"
Essa é a chamada do livro Sapatólatras Anônimas, de Beth Harbison. Para quem adora um acessório é um título irresistível!


O livro conta a história de quatro mulheres extremamente diferentes que acabam unidas pela paixão por sapatos ou vontade de fazer novas amizades.
A primeira é a trophy wife de um político insensível e infiel, outra é compradora compulsiva com a vida toda atrapalhada pelas dívidas decorrentes disso, a terceira é uma agorafóbica que não sai de casa há meses e trabalha via fone atendendo uma linha de "tele-sexo", e a última é uma sobrecarregada babá que precisa de um grupo -- qualquer grupo -- para se ocupar em suas horas vagas.

Iniciei a leitura animada, a ideia de um grupo de amigas que troca sapatos de grife entre si me pareceu promissora. Acho que eu tinha uma ideia de que seria algo como "Quatro Amigas e um Jeans Viajante", sabe o filme? Pensei que se desenrolaria com as diferentes vidas que cada uma daria a um mesmo par de sapatos. Mas não é nada disso. O livro foca mais em mostrar como surge uma amizade entre elas e como elas passam a se ajudar mutuamente.

Até aí, tudo bem. Porém...
* ALERTA DE SPOILER * Se você pretende ler o livro e não quiser saber detalhes, não leia abaixo!

A história vai indo relativamente bem até próximo do final do livro, quando absolutamente do nada todos os problemas se resolvem, as três que estavam sozinhas arrumam namorados e a única casada se divorcia do marido ruim e todas montam uma empresa que dá super certo logo de cara e faz o maior sucesso.  Dãh....

Livro que monta "final feliz" com as moçoilas arrumando namorado (completamente improváveis, os três casos) não merece meu respeito. Assim como texto que simplifica a montagem de um negócio rentável a algo como "Eu tenho um curso de web design, você tem conexões, a outra está craque em finanças" (essa é a endividada, hahaaaa!) e a empresa surge do zero e é imediatamente um estrondoso sucesso, também não leva em consideração a inteligência do leitor.

Ou seja: a premissa é boa, o título é ótimo (sem dúvida é a melhor parte de toda a obra), mas o livro é uma novelinha para quem gosta de princesas Disney ou de literatura de banca de jornal.

Sofrível. Se eu soubesse disso antes não teria perdido meu tempo. Não perca o seu também!

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Natal

A época de Festas costuma vir acompanhada de uma boa dose de stress para a maioria das pessoas.
São festas e mais festas de despedida nas Firmas, final do ano de estudo dos filhos, Formaturas, compras de presentes para amigos e parentes. Tudo isso em meio a um trânsito alucinado e a shoppings lotados. Não é para menos que muita gente desgosta de dezembro...

No entanto, cheguei à conclusão que o Natal é mais um exemplo de hábito sobre o qual mudamos de opinião com o passar do tempo.
Quando crianças ele é maravilhoso, esperado com ansiedade durante todo o ano.
Já casados ele se torna um certo problema: há duas famílias para se visitar, há uma certa disputa entre elas para saber "onde" vamos passar a meia-noite, há que se tourear todas as diferenças de costumes entre sua família de criação e a de seu cônjuge.
E somente mais tarde, aos 50', você aprende que não precisa mais ansiedade, que é somente uma ocasião festiva da qual devemos tirar o melhor, sem expectativas.


Houve um tempo em que me irritava receber abraços de "Feliz Natal" de pessoas que eu não via o ano inteiro. A festa em si parecia hipócrita, com parentes se cumprimentando com grande efusividade quando normalmente se estranhavam durante o restante dos dias do ano.

Porém, as famílias tendem a crescer e formar novos braços. Cada um deles começa a fazer sua própria festa, com as pessoas que lhes são mais chegadas, e isso acaba por diminuir aquele Natal com 40 pessoas em que sempre alguém estava dissonante.


Hoje tivemos um Natal de paz em casa de minha irmã, somente minha pequena família, meus pais, a família de minha irmã e de sua cunhada (a quem eu adoro) e sogro.
Compramos a ceia toda pronta, de um lugar muito bom. Dividimos as tarefas e ninguém se sobrecarregou. Foi um jantar tranquilo e uma noite deliciosa.

Quando lembro quanto nervoso já passei somente ao lembrar que dezembro estava chegando e que haveria Natal e Ano Novo... Atualmente não ligo mais nem para lojas lotadas. Fui fazer as últimas compras segunda-feira à noite e consegui achar bom.

Talvez esta paz só exista temporariamente, antes dos filhos se casarem e a rotina se alterar novamente...
Bom, como os meus falam que só vão pensar em casamento depois dos 35 anos, acho que ainda tenho uns bons 10 anos neste clima atual.  ;D

Meu desejo a vocês é de um Natal ótimo, com tranquilidade e paz.  
[Não o Natal das revistas, mas o Natal possível: com as pessoas que amamos e só].

 ----xxx----
 
P.S. abaixo segue ótimo Texto da Revista VIDA SIMPLES - Edição: Lígia Scalise (link)

"Todo fim de ano, o mesmo estresse: shopping lotado, trânsito, preparativo de ceia, irritação. Você está sofrendo os sintomas que antecedem o Natal, uma síndrome contemporânea que atinge pessoas em todos os cantos do mundo, aonde a festa chega carregada despesas e dores de cabeça. É nessa hora que vale a pena tirar a lista de compras da frente e entender os significados mais originais dessa data.

Qual é a origem?

O Natal é herdeiro de uma homenagem ao deus Sol, que acontecia no hemisfério norte. Era um festa para marcar o solstício de inverno, quer dizer, o dia mais curto e escuro do ano, que cai perto de 22 de dezembro. Representava uma comemoração pela chegada da luz, pois depois daquela data os dias ficavam mais ensolarados. No fim do século 4, o papa Júlio I decreta o dia 25 de dezembro como data para celebrar o nascimento de Cristo.

A figura do Papai Noel só se integrou aos rituais depois. Veio de Nicolau, bispo da região da Turquia, que tinha fama de presenteiro. Depois, sua fama se espalhou pela Europa e ele virou santo. O nome Noel vem da expressão francesa usada para designar o Natal. Em Portugal, ele é Papai Natal. Em inglês, é Santa Claus. As roupas vermelhas e a carinha rechonchuda do bom velhinho se popularizaram graças à publicidade.

O sentido do Natal

Cada um de nós pode dar seu próprio sentido ao Natal. Quem vai negar a importância da renovação, do encontro com quem a gente gosta, da exaltação da paz? Pois esses são alguns dos significados do Natal, que às vezes se perdem no meio dos afazeres e da sensação de que não sabemos direito o que estamos festejando.

Esse sentimento de renovação fica ainda mais presente por conta do fim do ano, quando as pessoas fazem balanço de suas vidas. É hora de festejar o que deu certo, de fazer planos para o futuro, mas também de encarar perdas e frustrações com aquilo que não aconteceu como se desejava. Como as festinhas de Natal promovem o reencontro entre as pessoas e as famílias, essa revisão passa também pelas relações com os outros. O que não dá é para ficar feliz por obrigação, só porque o Natal simboliza a alegria.

Crie seu clima

Recorde a infância. Lembre-se do que você mais gostava nos Natais da sua infância e tente repetir o que traz boas lembranças.

Não se obrigue. Descubra do que você não gosta no Natal e evite. Não se obrigue a participar e fazer coisas que sejam desagradáveis.

Experimente experimentar. Reduza os gastos e convide outras pessoas a fazer o mesmo, buscando alternativas a despesas tradicionais. Será divertido experimentar algo mais criativo.

Deixe a culpa. Ao menos neste dia, você não é o responsável pela miséria do mundo, pelos desentendimentos da família, pela roupa que sua filha diz que não tem, por isso, por aquilo...

Dê vida às tradições. Considere as origens e tradições que fazem sentido para você, sua família ou amigos e vá fundo nesse resgate. Isso dará mais sabor a tudo.

Respeite sua vontade. Se você realmente não está a fim de Natal, diga para as pessoas que resolveu fazer um retiro, que continua gostando muito de todos e vá.

Faça menos. Uma ceia não precisa ter dez pratos diferentes, para fazer sucesso. Um pequeno menu bem saboroso basta para uma noite e um dia seguinte de muitos prazeres à mesa."

*Dicas extraída do livro Descomplique Seu Natal, de Elaine St. James

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Shoestock: seleção de itens para Verão

Recebi uns emails tão bonitinhos da Shoestock que resolvi compartilhar com vocês. Foram quatro envios, cada um focando em um local de viagem de férias: praia, cruzeiro de navio, cidade e campo.
Separei só as peças que eu realmente gostei e montei o quadro abaixo, nos moldes do email original, com as fotos espalhadas pelos caminhos das férias:


Adorei os quatro itens azuis por conta da tonalidade deles. É um azul jeans, meio azul carbono, super usável e de um tom ótimo que normalmente é difícil de encontrar para comprar. Vai bem com tudo, bem curinga. <3

Os chinelinhos com flores estão uma graça! E as cores vivas são super apropriadas para o verão e para praia. #desejei ;)

Na parte campo/cidade, o slipper de cobra está bem atual. E, o que mais gostei: a mochila com detalhes dourados. Muito linda. E convenhamos: mochila é um item essencial em viagens.


Faz muito tempo que não compro nada na Shoestock, não saberia dizer se os sapatos estão/são confortáveis. Porém, no meio de tanto sapato caro e sem graça que tenho visto ultimamente, eles se destacaram por conseguirem uma coleção bem interessante e com bom preço. Acho que está valendo uma olhada na loja física.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Agenda 2015 - já escolheu a sua?

Algumas rotinas desta época de final de ano são deliciosas: amo escolher a agenda e o calendário do ano seguinte.

Já estou com minha agenda comprada desde agosto. Aproveitei a visita ao Metropolitan Museum of Art de NYC e escolhi esta aqui, semanal e com fotos espetaculares de moda a cada folha.




Quem também andou por NYC e se encantou com as agendas foi a Fashionismo. Olha quanta coisa bonita tinha na Henri Bendel!



Por aqui, a TokStok lançou uma coleção de agendas fashion com estilistas brasileiros: Ronaldo Fraga, Alexandre Herchcovitch e Amir Slama.



As maiores estão por volta de R$60 e as menores aproximadamente R$40 (tem ligeiras diferenças de preço entre cada modelo).

Em algumas unidades da TokStok já estavam faltando alguns desenhos. Mas se você der sorte ainda consegue uma dessas lindas para 2015. Que tal?

domingo, 21 de dezembro de 2014

Livro: A Garota das Nove Perucas

Este livro conta a história real e autobiográfica de uma holandesa de 21 anos que recebe o avassalador diagnóstico de um câncer raro e agressivo.
Para suportar as 54 semanas de tratamento ela se reinventa conforme a peruca que escolhe para o dia: cada peruca lhe inspira uma personalidade diferente.


Trecho:
"Fui com minha irmã numa loja de perucas para teatro. De frente para o espelho, experimentei vários modelos, até que... não é que uma peruca loira com cachos compridos me agradou e muito? Assim nasceu a Daisy. Soube, na hora, que ela tinha vindo pra ficar. Me olhei de todos os ângulos. Me senti uma garota desaforada e atrevida. Fiquei animada. De repente bati o olho num modelo com tufos ruivos, meio arrepiados, que mais tarde batizei de Sue. Como sou geminiana e tenho bastante dificuldade de fazer escolhas, saí da loja com as duas perucas... e duas novas personagens. Com o tempo, passei a achar mais graça na loja de perucas do que na H&M. Vi nascer então a Stella, mais careta e tímida, com cabelo castanho-claro bem curtinho, e a Blondie, de madeixas chanel loiras. Então, fui percebendo que todas elas juntas formavam uma nova Sophie. Multifacetada, forte, corajosa. Tipo como se cada peruca fosse um novo sopro de vida, de esperança, de amor próprio. Stella, Sue, Daisy, Blondie, Platina, Uma, Pam, Lydia e Bebé me salvaram."
Foto: "Pam - Daisy - Blondie"

Comecei a leitura animadíssima para acompanhar essa história de transformação, queria saber as nuances que distinguiam cada peruca-personalidade. No entanto, o livro conta só superficialmente, por meio de adjetivos, como cada peruca transformava sua portadora. 

O que se percebe ao longo das páginas é que Sophie é uma lutadora incansável. Mesmo em face da quimioterapia, da queda de cabelos, das marcas no corpo, ela continuava a sair para dançar, ir a cafés com amigos, ir sozinha ao Hospital. Muito corajosa e muito batalhadora.

Gostei do livro e recomendo. Nem todos têm a sorte de conseguir vencer essa doença tão invasiva. Porém, uma história de sucesso é sempre bem vinda e inspiradora.
Pena que suas nove personalidades foram citadas, apresentadas, mas pouco exploradas na versão escrita...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Livro: A Lifetime of Secrets / Livro: Doctor Who - 12 histórias


Leio o site PostSecret todos os domingos, já nem lembro mais desde quanto tempo. É fantástico como alguns segredos tocam a gente e, por outro lado, como as pessoas pensam coisas inacreditáveis também.

Comprei o livro "A Lifetime of Secrets" pela Amazon. Entregaram rápido e o devorei em horas.
Não é o último que foi lançado, o deste ano não encontrei nas livrarias. Mas, na verdade, pouco importa: a natureza dos segredos é  atemporal -- este é de 2007 e todos os segredos poderiam ter sido escritos ontem.


Ele é o quarto livro do projeto PostSecret e "foram selecionados postcards que mostram como segredos podem revelar um impulso momentâneo ou podem nos assombrar por décadas. Foi organizado em ordem cronológica através da infância, adolescência, idade adulta e maturidade".
É assustador e inspirador, ao mesmo tempo.

Apesar de ter sido caro (R$79), fiz questão de comprar para retribuir em parte o que o projeto disponibiliza gratuitamente para todos via site, durante tantos domingos. Sempre acho que precisamos apoiar as iniciativas que nos agradam, que nos tocam.
Recomendo muito a leitura.


O outro livro da foto é "Doctor Who - 12 doutores, 12 histórias". Muito bem encadernado, quase 500 páginas, é de leitura rápida e do ramo da literatura fantástica. Já aviso: quem não é fã de Doctor Who não vai entender a proposta e não vai curtir as histórias.

Tirando a primeira história, que é tão fraca e caricata que não consegui nem chegar ao seu final, as demais são razoáveis, com altos e baixos.
Alguns autores não conseguiram se desvencilhar da visão 100% terrestre de mundo e suas histórias têm argumentos simplesmente tacanhos, como o de um planeta inteiro "inspirado" em Las Vegas -- o quão pequena é essa ideia? Outros pesam a mão nas esquisitices de seus Doutores, e as soluções dos problemas parecem meio acidentais.
No entanto, alguns são brilhantes. As últimas três histórias têm bons argumentos e são bem engendradas, inclusive com uma visão de universo condizente com a série original. E estas têm a vantagem da leitura ser acompanhada da imagem, da voz, roupas, características e trejeitos com que relembramos desses Doutores (do 10th ao 12th).

Eu gostei bastante. Relerei as histórias dos meus preferidos futuramente. :)


P.S.: Postcard nos moldes do projeto PostSecret...
 Faça um você também, é desafiador.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Compra com desconto: Off Premium

Gente, estou rindo sozinha... Acabou de chegar um vestido que comprei do e-commerce Off Premium e ele ficou ótimo! Isso é tão raro...
Explico: já estou desistindo de comprar online, as últimas peças tiveram que ser devolvidas, nada ficou bom (inclusive vestidos 44). E aí este vestido, que eu já estava certa que devolveria também, por ser 42, chegou hoje e vestiu bem! (ficou até meio grande, acredita?)

Ele é de tule inteirinho rebordado (pesa muito) e vem com 
uma combinação* marrom para ser usada por baixo.
[no site chamam de "vestido underwear"]

Por que estou rindo à toa? Porque veio afixada a etiqueta original da A.Brand, mostrando o preço praticado na loja como R$ 1.998, sendo que paguei R$ 492. Excelente desconto!!! Além do site já ter um preço reduzido, aproveitei uma ação que eles fizeram de 20% extra de desconto, daí esse valor.


O que não gosto na Off Premium é que eles não especificam as medidas produto por produto, só dão uma tabela geral de tamanhos. Com isso você nunca tem certeza se está comprando algo que efetivamente vá lhe servir.

Indico para vocês olharem vestidos de festa com preços bem melhores que o mercado (link aqui), no entanto, já sabendo que a peça pode chegar e não servir. Aí, é solicitar devolução, não tem outro jeito.

Neste caso, dei sorte. Valeu arriscar!  :D

Dica: vestidos em A são mais fáceis de dar certo do que os acinturados.
E de hoje até dia 24/dez a Off Premium está com a seguinte promoção:

É um bom desconto. 
[Lembrando, no entanto, que janeiro será mês de liquidações generalizadas].

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Isolda - nova fase

Quando a Isolda lançou roupas estampadas com prints inusitados e crash de estampas, suas peças se tornaram imediatos itens-desejo.

Estampas do Verão 2013: polvos, conchas, lagostas, frutas e muito crash com listras.

 Montagem da lillystrends

Estampas do Verão 2014: mais cajus, goiabas, saladas de frutas e muitos geométricos branco e preto.



 Estampas do Verão 2015: pimentas malaguetas e antúrios.





E para Inverno 2015... nova fase, com peças lisas e estampas discretas.  #comoé?

A marca Isolda foi criada em 2011 em Londres por três amigas, brasileiras naturais da Bahia, e logo conquistou o mundo com suas estampas supertropicais e overprinted.
Agora elas ajustam o rumo pensando nas clientes que "não se sentiam à vontade de sair por aí completamente estampadas”, conta Juliana, ex-jornalista de moda e hoje a porção based in Brasil do trio. [artigo Vogue]

Para este inverno as estampas serão de parreiras e damas da noite, porém de forma mais sutil, em modelagens com um leve ar vintage. 




Todas as peças da foto, inclusive as lisas, são Isolda. 
Preços: de R$650 o top verde água, liso, à R$3.890 o quimono "dama da noite" à direita.
Convenhamos: os preços são muito salgados!!!

Realmente, parecem ser mais fáceis de usar. Mas perderam um pouco da alegria das coleções passadas.
[E a estampa com flores e estrelas... nossa, detestei! E a saia com estampa do Palácio do Planalto também não me agradou em nada].
Não sei... Agora resta ver como as pessoas vão reagir às novidades.

Tudo minúsculo
O que posso falar é que as peças da Isolda são feitas em modelagem muito pequena. Se você tiver um pouco mais de busto, ou de braços, o que for, já não vai conseguir usá-las. O que é estranho, visto que suas próprias criadoras não são mulheres pequenas!

Duas das sócias da Isolda

O que consegui comprar da marca foi esta regata, única peça com tamanho maior que encontrei:

E ainda por cima não gostei muito dela: é de tecido muito pesado, inviável para o calor. É uma regata que só pode ser usada no inverno, sob blazer ou casaco.  :(


Esta camiseta, outra tentativa de compra com medidas maiores pela tabela do site, até serviu, mas de forma feia, apertada. Tive que devolver.

Até agora minha estampa favorita ainda é a da lagosta, lá de cima.  E estas novas...

Vocês gostaram?

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Natal: mais de 200 sugestões... mas só 28 escolhidas

Não resisti a mais uma lista de presentes e esmiucei a da Revista Claudia, esta aqui, e separei para vocês somente o que realmente pode interessar.

Sim, porque não adianta dizer que tem "mais de 200 sugestões para mulheres" quando algumas são como estas:





Não sei se vocês concordam comigo, mas quem tem $$$ para gastar no Natal não precisa de grandes listas de sugestões: é só ir ao shopping e escolher o que quiser e pronto.
Já quem tem amigo secreto no trabalho, presentes em casa, para amigos, etc., precisa achar algo que tenha um bom custo x benefício, algo interessante mas que não custe muito.

Então, expurgando a lista dos 200+, sobrou o seguinte:

A- até R$50









B- de R$51 até R$100










C- de R$101 até R$150




O legal aqui é perceber quais classes de produtos podem ser bons presentes e a partir daí pesquisar outras lojas, outras opções. Por exemplo: livros. Tanta coisa para escolher que nem dá para fazer lista de sugestão!
Ou cosméticos como Mahogany ou Quem Disse, Berenice. Sapatilhas, espadrilhas. Bijoux fáceis de agradar, como brincos e colares. E os amados chocolates!
Enfim, acho que deu um bom caldo.

O asterisco nos preços refere-se a que estes foram pesquisados em novembro/14. Todas as fotos e sugestões estão originalmente no link acima. O post é uma curadoria do que está disperso por mais de 200 fotos.
Espero que seja útil e que tenham gostado. :D


P.S.: Presentes para homens - não há muito o que falar: camisetas, camisas, calças, sapatos, carteira, hobby, livros, gadgets. Mais simples, porém com muito potencial de serem bem mais caros...